19/06/2009

O homem eterno (The everlasting man), de G. K. Chesterton

Lisboa: Aletheia, 2009 (1925), pp. 380, 16,00€

«Quando certa vez perguntaram a Chesterton “que livro gostaria de ter consigo se fosse um náufrago numa ilha deserta”, esperando talvez uma resposta profunda e elevada como “a Bíblia” ou “a Divina Comédia”, respondeu com o óbvio “um manual de construção de botes”.

O espanto é a atitude de quem se surpreende com admiração diante de alguma realidade ou pessoa. Não é necessariamente a realidade a ser surpreendente: simplesmente pode ser olhada desde um novo ponto de vista, que a torna assim.

Portanto, o espanto é uma reacção do indivíduo, que vemos principalmente nas crianças. E em Chesterton. Ele e os seus livros surpreendem ao leitor, porque ele próprio se deixa espantar pela realidade (...).

[Mas] o verdadeiro espanto nasce como atitude procurada, desejada. Neste livro, O homem eterno, o leitor espanta-se pela força e beleza dos exemplos, descrições e argumentos, que dão forma a esta procura.

(Do Prefácio, por Luis Miguel Hernández)

2 comentários:

FireHead disse...

Não sou nada de ler, mas o título desse livro parece-me bastante sugestivo. A ver vamos se eu arranjo maneira de o ter.
Um abraço.

zé hobbit disse...

Olá,

as adaptações de vários romances por Orson Wells, incluíndo 'O Homem Que Era Quinta-Feira' estão em:

www.mercurytheatre.info

Que era uma companhia de teatro de rádio, onde ele também figurava - aliás é ele que dá a voz a Gabriel Syme ^_^

Por acaso agora não consegui abrir o site, mas está em cache no google em:

http://209.85.229.132/search?q=cache:k-gJykVVYMkJ:www.mercurytheatre.info/+mercury+theater+on+air&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk&gl=pt&client=firefox-a

Deve ser temporário, senão depois posso enviar a adaptação por email, já que é gratuito.